fbpx

Delivery, uma tendência para o mercado de food service

Delivery é a palavra em inglês que tem origem no verbo deliver, que remete para o ato de entregar, transmitir ou distribuir. Atualmente, a palavra é muito usada no âmbito de estabelecimentos como restaurantes, lanchonetes, entre outros que entregam comida na casa ou no trabalho das pessoas, para que elas não tenham que cozinhar nem se deslocar até esses lugares.

Para empreendimentos food service, o delivery é um grande ponto forte e viver sem esse auxílio de vendas é bem complicado. O delivery serve como grande aliado do consumidor final já que ele se ajusta aos mais diversos horários, é prático, cômodo e vai até onde o cliente pedir. Além do quê, permite que outras tarefas sejam feitas enquanto a comida não chega.

Os aplicativos que reúnem os principais deliveries de uma certa localidade são realidade e estão cada vez mais modernos, permitindo até o pagamento mobile. Ou seja, investir num delivery pode ser uma ideia muito boa para a expansão do seu negócio.

Como saber se o delivery se adequa ao seu estabelecimento?

Segundo a revista PEGN (Pequenas Empresas e Grandes Negócios) , são 5 os principais passos para avaliar a questão:

  1. Entregar ou não entregar? 

Avalie se o serviço de entregas será um diferencial em relação aos seus concorrentes. Também é importante verificar se a opção por receber a mercadoria diretamente em casa é proveitosa para os seus clientes. Se o produto tem um valor agregado muito baixo, o preço do serviço pode desmotivar sua utilização. É fundamental analisar ainda os custos que a empresa terá com a implementação do delivery: gasto inicial, compra e manutenção de veículos, funcionários etc.

  1. Que tipo de veículo devo usar?

Para decidir como fazer a entrega, é preciso analisar as características dos produtos, como tamanho, peso e cuidados especiais (fragilidade, controle de temperatura, valor médio).

  1. Terceirizar ou não?

A tendência é terceirizar. Devido ao grande número de clientes, uma empresa de transporte consegue diminuir o preço do serviço. Além do mais, chega a lugares que você não atingiria com veículos próprios. Criar uma frota particular só vale a pena se a área de atendimento for restrita. Não se esqueça de dimensionar sua estrutura de acordo com o tamanho do negócio.

  1. Como tornar conhecido o delivery?

É fundamental divulgar na própria loja e no site da empresa. É possível tirar proveito de anúncios em publicações locais, como jornais e catálogos.

  1. Como organizar rotas?

Se for entregar em muitas regiões, vale a pena instalar um software que sistematiza pedidos e trajetos. No caso de rotas restritas, dá para resolver com um sistema de planilhas e ferramentas gratuitas, como o Google Maps.

 

Fonte: Revista PEGN e Revista Gestão e Negócios